sexta-feira, 30 de abril de 2010

Estação de Lisboa STª Apolonia

video

Informaçao SFRCI - Balanço da Greve de dia 27 Abril 2010

Utentes dos Comboios Intercidades da Linha do Alentejo entregou hoje no Parlamento uma petição

A comissão de utentes dos Comboios Intercidades da Linha do Alentejo entregou hoje no Parlamento uma petição a solicitar a intervenção dos deputados para que não seja suspensa, a partir de maio, a circulação de comboios na zona.
Em declarações à Agência Lusa, o porta-voz da comissão de utentes explicou que a petição, com cerca de 2 500 assinaturas, foi entregue na Assembleia da República "com o compromisso de se conseguir as restantes 1 500 até final deste mês".
"Quisemos entregar a petição antes do encerramento da linha, para que se tomem as devidas diligências", justificou João Fialho.
A circulação ferroviária na Linha do Alentejo, no troço Bombel, Vidigal, Casa Branca e Évora, vai ser suspensa a partir de segunda feira, com a duração de um ano, devido à segunda fase das obras de modernização da linha, confirmou hoje à Lusa uma fonte da CP.
A mesma fonte garantiu que os comboios na linha do Alentejo vão ser substituídos por um serviço rodoviário.
Também a Refer confirmou o encerramento daquele troço, alegando ser necessário garantir as condições requeridas para a correta execução dos trabalhos de tratamento da plataforma, contemplados nas intervenções a concretizar quer nas respetivas estações, quer nos cerca de 32 quilómetros de plena via.
A obra prevê a eletrificação do troço, renovação das vias, beneficiação de estações e construção de passagens desniveladas, num investimento superior a 48 milhões de euros.


terça-feira, 27 de abril de 2010

Aviso 28 Abril - Conferência de Imprensa Conjunta

PRIVATIZAÇÃO DAS LINHAS SUBURBANAS DE LISBOA: UM BOM NEGÓCIO PARA UNS POUCOS, À CUSTA DO SACRIFÍCIO DE TODOS



A privatização das Linhas Suburbanas de Lisboa (Sintra, Cascais e
Azambuja) é um negócio - há vários anos anunciado - que agora o Governo decidiu concretizar no quadro do chamado "PEC".
Para divulgarem as suas posições sobre esta matéria, bem como o conjunto de iniciativas conjuntas que decidiram promover, convocam as organizações signatárias esta Conferência de Imprensa, na qual teriamos o maior interesse em contar com a Vossa presença.
A Conferência de Imprensa realizar-se-á no próximo dia 28 de Abril, às 10.00, no átrio inferior da Estação do Rossio.
- Comissão de Utentes da Linha de Sintra
- Comissão de Utentes da Linha de Cascais
- Comissão de Utentes da Linha da Azambuja
- Comissão de Trabalhadores da CP
- Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário


fonte
SNTSF

Caracteristicas dos comboios de Alta Velocidade - Maglev Zefiro AGV Velaro Pato ICE 3 Trem Bala


Clique para ampliar

Maglev - China - O mais rapido do mundo
O comboio Maglev, fabricado pelo consorcio alemao Transrapid, integrado por Siemens e ThyssenKrup, é o mais rapido do mundo com uma velocidade que supera os 500 km/h.
A caracteristica que mais o destaca de qualquer outro, é que se trata de um veiculo que circula sem tocar os carris, a uma distancia de um centimetro. Esta tecnologia conhecida como levitaçao magnetica, é o que lhe permite alcançar velocidades superiores.


Zefiro - China - A maior capacidade do mercado
O grupo Germano-Canadense Bombardier ganhou um contrato na China em Setembro de 2009, para fornecimento de 80 comboios de Altíssima velocidade Zefiro 380, que serão entregues entre 2012 e 2014. Este novo modelo da Bombardier será uma peça chave na estrategia de alta velocidade desta empresa.  



AGV - França - Motores em cada uma das Carruagens 
Deixando para trás o modelo TGV, a companhia Francesa Alstom apresentou a sua nova joia da coroa, o AGV (iniciais de Automotriz Gran Velocidad). no dia 5 de Fevereiro de 2008. Este Equipamento tem uma velocidade maxima de 360 km/h. 



Velaro - Espanha - Traçao refinada
O Velaro S-103, fabricado pelo grupo Alemao Siemens é um comboio de alta velocidade derivado do ICE3, actualmente em serviço na Alemanha e Holanda. Esta serie especifica conserva a mesmas linhas no design que o Velaro original mas constitui uma evoluçao nas prestaçoes.



Pato - Espanha - Consumo energetico reduzido
O Talgo 350 serie 102, conhecido por Pato devido ao aspecto da locomotiva que parece o bico de um Pato,      
Surge da aliança entre Bombardier e Talgo, este comboio de alta velocidade é o primeiro produzido em Espanha. 


Ice - Alemanha - O Transfronteiriço Europeu
O InterCity-Express (ICE) é um modelo,
fabricado em colaboraão por Bombardier
e Siemens, para serviço na Alemanha, as primeiras unidades da terceira geraçao ICE3, foram entregues em 1999.


Trem Bala - Japao - O pioneiro da Alta velocidade
Tokaido Shinkansen, mais conhecido por trem Bala, apareceu no Japao em 1964 e virou uma pagina na historia. 
Fabricado pelas companhias Hitachi, Kawasaki
Heavy e Nihon Sharyo.



fonte 
EL mundo

Greve sector ferroviário; Efeitos da greve agravam-se depois das 10 horas

Depois de um período da manhã, com uma forte adesão à greve e que paralisou a maioria da circulação ferroviária, após as 10 horas em termos de circulaçãop ferroviária a situação agravou-se, com a supressão de mais circulações.
Mantêm-se elevados os índices de adesão, situando-se na CP, CP-Carga e REFER entre 90 e 95%, com locais com adesão de 100%. Na EMEF a adesão é superior a 95%. Esta é a situação que se manterá ao longo do dia e é demonstrativa do forte descontentamento dos ferroviários face ao anúncio do congelamento dos salários, do bloqueamento da contratação colectiva e face ao anúncio de privatização das empresas do sector.




fonte
SNTSF

Estação de Santa Apolónia - Sud Expresso

Depois de momentos de grande confusão motivados por um vulcão que
colocou em causa o fluxo de pessoas e bens nas deslocações aéreas.
Tempo para saltar até à Internacional Estação de Caminhos-de-ferro de
Lisboa Santa Apolónia, e nas cinzas assistir à formação do Sud
Expresso, esperar pela partida. E deixar seguir com destino a Hendaye,
onde tem  ligação ao TGV para Paris .
 
 


O Comboio Real Português já se encontra na Holanda no SpoorwegMuseum.
Momentos da chegada a Utrecht http://www.bit.ly/aFnCty
A página do Museu -http://bit.ly/bP7EAT



Jogo de Tabuleiro de Caminhos-de-ferro extensão para Portugal -
"Ticket to Ride: Edição Portugal" http://bit.ly/cMvYhs


Rui Ribeiro

Greve sector ferroviário; Mantêm-se elevados índices de adesão


Pelas 6h00m, o balanço feito da greve mostra que se mantêm os elevados índices de adesão verificados ao início desta jornada de luta. A circulação ferroviária a norte está paralisada, nas linhas de Sintra e Cascais circularam apenas um comboio em cada uma delas, essencialmente com recurso a trabalhadores precários da revisão. Na linha do Sado, a maioria da circulação foi suprimida e a que não foi, deveu-se à substituição de trabalhadores em greve por parte de chefias.
A adesão à greve situa-se na ordem dos 95% no geral, havendo taxas de adesão de 100% na área da revisão do Porto, Lisboa e Barreiro. No CCO de Lisboa, a adesão é na ordem de 90%, estando a operação a ser excutada por pessoas que não pertencem àquele local de trabalho. Na área da tracção (maquinistas) 90% de adesão. Na Soflusa apenas circulou a carreira prevista no acórdão de serviços mínimos, pelo que a adesão é praticamente total.


fonte
SNTSF

domingo, 25 de abril de 2010

Greve dia 27 Abril - Reflexos

- A REFER apresentou, esta semana, duas propostas. Uma sobre
as deslocações, que resulta da situação que criou com a alteração dos critérios de
pagamento desta cláusula e a outra sobre as concessões para os trabalhadores
admitidos depois da constituição da empresa.
- A proposta é a seguinte. haver apenas um regime de pagamento de
deslocações (excluindo os quadros técnicos) com o seguinte valor: deslocação igual
ou superior a 10 horas, 26 € e inferior a 10 hora 50% do valor atrás referido. este
valor já inclui o subsídio de refeição.
- A Administração admite, num quadro final de negociação atribuir as
concessões aos trabalhadores (excluindo os familiares). Esta será uma evolução
positiva no momento que a Administração aceitar esta reivindicação dos
trabalhadores, sem a condicionar à redução dos salários. No entanto registamos
que, com a luta que temos desenvolvido, já obrigámos a REFER a dar este passo, por
isso a luta tem que continuar.

As deslocações são uma matéria pecuniária do AE, que a Administração dizia estar impedida de negociar e que deixou de estar depois da marcação da greve de dia 27


No passado dia 1 de Abril a operação do Metro do Porto, passou para a empresa
ViaPorto-Prometro, SA, do grupo Barraqueiro, abrindo-se assim uma nova etapa na vida
desta empresa.
Logo nesse dia, o Sindicato endereçou à nova Administração, uma proposta de revisão
salarial e das cláusulas de expressão pecuniárias constantes no AE, com a solicitação de
uma reunião, seguindo-se no dia 9 a entrega do pré-aviso de greve para dia 27.
Foram realizadas reuniões com a nova Administração nos dias 13, 20 e ontem dia 22.
Perante a greve, foi possível chegar a um entendimento mínimo entre a empresa e o
Sindicato, que permite a actualização dos salários e a manutenção do Acordo de
Empresas.
Assim, com retroactivos a Janeiro deste ano, conforme cláusula do AE, as
prestações pecuniárias, aí previstas, serão actualizadas em 1,5%.
O Acordo de Empresas manter-se-á em vigor até ser substituído por outro e
manter-se-á a prática de reuniões trimestrais com vista à análise da sua aplicação.
A Administração irá promover reuniões com as empresas subsidiárias, com o fim
de se encontrarem soluções para o problema de colocação de trabalhadores das
empresas que cessaram a sua actividade em função da nova concessão.



sábado, 24 de abril de 2010

Lá fora - Zambia

Os ferroviarios da Zambia, confiantes que o Benfica será campeão decidiram começar a festejar já hoje!



Intercidades Evora e Beja suspenços a partir de 01 de Maio 2010

A CP anunciou esta semana que os intercidades de Evora e Beja serão suspensos por um periodo de 1 ano a partir de 01 de Maio de 2010 por motivo de obras.
A estes comboios será efectuado transbordo rodoviario, mas os autocarros apenas efectuarao paragem em Lisboa Oriente, Vendas Novas e Evora, ou Beja. Todas as outras estaçoes ficarao sem serviço.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Motoras Camello Alugadas pela CP á RENFE

Uma imagem das Camello que a CP alugou á Renfe para fazer serviço em V.R.Sto Antonio e Douro, devem cá chegar lá para o verao.

Lá fora . Maglev imagens do Japao, China e alemanha

Aqui deixo algumas imagens que encontrei nas quais podem conhecer o que já existe lá fora com tecnologia de transferencia magnetica - Maglev.
É claro que esta tecnologia nao interessa minimamente em Portugal...
Se Portugal apresenta-se um projecto na CEE para implementaçao de tecnologias que seriam inovadoras em toda a peninsula iberica e sul da europa (como o Maglev) seria comparticipado pela CEE a fundo perdido a 100%.
É evidente que isto seria uma catastrofe para os interesses nacionais!,,,,
(Interesses nacionais - significa interesses de alguns pois se a CEE comparticipar a 100% manda inpectores para vigiar o gasto do dinheiro e obra construida, logo nao se pode roubar....) 

domingo, 18 de abril de 2010

Especial Linha do Tua - Est. de Abreiro

Motivado pela entrada em circuito comercial do documentário "Páre,
Escute, Olhe", mote para recuperar alguns dos momentos uma passagem
pela Linha do Tua e para sublinhar Abreiro. Também, para lembrar uma
ida ao cinema.
Para ver - Linha do Tua - Estação de Abreiro:
A estação de Abreiro, no contexto da actualidade (até 2008) da linha
do Tua entre Mirandela e a Foz do Tua onde faz ligação à Linha do
Douro, pode ser ser considerada como a fronteira para a parte vista
como a mais envolvente da Linha, expressa num vale apertado de grandes
penhascos onde se espreita o rio Tua, num enredo de sublinhada
natureza.


Para quem tiver interesse em não deixar escapar uma ida ao cinema para
ver "Pare, Escute, Olhe". Um bom ponte de partida onde e quando se



Porque também se fala da Linha do Tua, fica a sugestão de ouvir um
pouco de rádio em       "Do Património Rural às Paisagens Culturais",
programa "Encontros com o Património" da TSF - http://bit.ly/a48NrX


Rui Ribeiro

Modelismo - Oeste Model - Batalha do Vimeiro

Uma pausa nos Caminhos-de-ferro para ir espreitar modelismo no Vimeiro
na zona Oeste. No contexto da Exposição Oeste Model ficou marcado um
encontro como Sr. Vitor Mestre e o diorama das Batalhas Napoleónicas.
 
 Para ver:
 
 Uma nota de agradecimento à Oeste Model e ao Sr. Vitor Mestre.



A Fundação Museu Nacional Ferroviário vai promover dia 20 de Maio,
inserido na reunião Nacional do Projecto EuropeanaLocal que visa a
agregragação de conteúdos culturais ( texto, imagem, som e video), uma
tarde de debate sobre a produção, gestão e agregação de conteúdos
culturais em Portugal.
Mais informação em: http://www.bit.ly/aPxZWW



Já estreou nos cinemas o Documentário "Páre, Escute, Olhe" de Jorge
Pelicano sobre a linha do Tua.


Rui Ribeiro

CP e Renfe concorrem a duas concessões de comboios em Londres

As linhas que a CP disputa servem a grande área metropolitana de Londres e poderão estar disponíveis nos Olímpicos de 2012.
As duas empresas ibéricas podem ganhar a gestão das linhas ferroviárias a tempo dos Jogos Olímpicos de 2012.
A CP e a Renfe estão a concorrer em conjunto a duas concessões de caminhos-de-ferro em Londres, apurou o Diário Económico junto de diversas fontes em Espanha. As concessões em causa foram lançadas no passado dia 1 de Abril pelo ministério dos Transportes do governo britânico liderado por Gordon Brown, servem a grande área metropolitana de Londres e deverão estar totalmente entregues à iniciativa privada a tempo da realização dos Jogos Olímpicos de 2012, agendados para a capital inglesa.
As concessões em causa são a Greater Anglia e a Essex Thameside. A Greater Anglia é actualmente gerida por uma empresa designada National Express East Anglia, cuja concessão termina em Março de 2011. O concurso a que a CP e a Renfe estão a concorrer é lançado por um prazo de 10 anos. O governo inglês pretende introduzir melhorias no serviço prestado aos milhões de passageiros anuais que utilizam os comboios nesta linha, que passa por Londres, Essex, Hertfordshire, Cambridgeshire, Suffolk e Norfolk.
Por seu turno, a Essex Thameside é uma concessão que deverá iniciar a operação a 29 de Maio de 2011, prosseguindo a exploração da linha actualmente assegurada pela empresa National Express Group, através da sua participada c2c. Em Dezembro de 2011, o governo inglês pretende que todas as rotas ferroviárias para a Fenchurch Street, em Londres, sejam capazes de operar comboios com 12 carruagens, quando actualmente a linha é servida com comboios de apenas oito carruagens.
A nova concessão deverá proporcionar um serviço fundamental durante o período da realização dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, assim como aos Jogos Paralímpicos, especialmente para West Ham, onde ficará instalada a Cidade Olímpica.
Ambas as concessões estão neste momento abertas à entrega de propostas, período que irá terminar a 19 de Abril. O Diário Económico apurou ainda que a CP e a Renfe têm cerca de seis concorrentes no concurso para a concessão de Greater Anglia e cerca de nove para a concessão de Essex Thameside. Contactado pelo Diário Económico, Francisco Cardoso dos Reis, presidente da CP, escusou-se a fazer declarações sobre este assunto.
O Diário Económico sabe, contudo, que a participação da CP nos consórcios formados para estes dois concursos em Londres, é reduzida, mas considerada essencial pela Renfe devido à mais-valia e ao ‘know how' específico que a transportadora ferroviária portuguesa tem em matéria de manutenção de material circulante, designadamente através da sua participada EMEF - Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário.
A participação conjunta das duas ferroviárias ibéricas nestes concursos de Londres é o primeiro passo de uma aliança estratégica firmada a 19 de Março passado, entre Francisco Cardoso dos Reis e Teófilo Serrano Beltrán.
Essa aliança prevê a participação conjunta da CP e da Renfe nos concursos para exploração do serviço ferroviário de alta velocidade em Portugal e deverá ser concretizado e detalhado num acordo global a assinar nas próximas semanas.
Nessa ocasião, no anúncio da criação da parceria entre as duas empresas ferroviárias de Portugal e Espanha, o presidente da CP havia adiantado ao Diário Económico que a aliança se iria reflectir na participação conjunta das empresas em concursos fora da Península Ibérica.
Londres é o primeiro passo para que a CP e a Renfe se apresentam no mercado internacional de concessões ferroviárias e deverá ser seguido nos próximos meses noutros concursos noutras geografias.

Nuno Miguel Silva  

O comboio que nunca para.

Aqui vai mais uma invenção chinesa:


 

Agradecimento a
Antonio Brilhante

Petição para o não encerramento da Linha do Alentejo Évora-V.Novas.



To:  Assembleia da República Somos um grupo de utilizadores diários da rota Évora – Lisboa – Évora, fornecido pela CP, no seu serviço Intercidades.

Ultimamente têm surgido na comunicação social algumas notícias acerca do encerramento desta linha. Tal facto produz em nós uma enorme consternação, pois, este é o meio de transporte de eleição entre a nossa residência e o nosso local de trabalho permanente, em Lisboa.

Entre os regulares utilizadores deste serviço, encontram-se pessoas de Évora, Casa Branca, Vendas Novas e Pinhal Novo.

O facto de termos optado por esta alternativa prende-se, essencialmente, com a convicção de que a residência de cada um de nós reúne ainda um conjunto de condições que a tornam um local com privilegiada qualidade de vida, ainda que, isso nos obrigue a efectuar esta deslocação diária para o nosso local de trabalho.

O tempo que despendemos diariamente nas deslocações é considerável, o que obriga muitos de nós a levantar muito cedo. Porém, esse é um sacrifício que fazemos com agrado, motivado pela alegria que todos sentimos ao pensar que depois de um dia de trabalho voltaremos a casa. Diz-se que durante o tempo de encerramento da linha, será disponibilizado um transporte alternativo, o autocarro. Ressalve-se que o autocarro não é por nós considerado uma alternativa. O comboio é, em tudo, um meio de transporte de muito melhor qualidade, dado que beneficia de incomparáveis condições de conforto e comodidade:
• Mais rápido;
• Não é susceptível de sofrer atrasos, em função do trânsito;
• Possui condições indispensáveis à realização de trabalho enquanto se viaja, dado que disponibiliza mesas;
• Tem WC;
• Goza de espaço amplo e que permite deslocações dentro do próprio comboio, favorecendo uma óptima dinâmica de convívio;
• Entre muitos outros incomparáveis benefícios.

De maior impacto se torna esta medida de encerramento da ligação, se tivermos em mente que em causa está a ligação entre a capital do nosso país e uma capital de distrito (e património mundial). Ou seja, ainda que muitas vezes os factores económicos acabem por ter papel preponderante, nesta situação não se pode simplesmente ignorar os princípios de carácter social e de serviço público, pelos quais a CP e a Refer se regem. Mais do que a suspensão de uma ligação ferroviária, está também em causa a suspensão de uma forma de contacto directo entre a capital de um país e a capital de um distrito do interior, tantas vezes negligenciado.

O encerramento desta ligação é uma medida que, na nossa óptica de utilizadores diários, afecta um número considerável de passageiros, pois, a afluência é bastante razoável. De tal forma que, por vezes, temos de recorrer aos lugares do bar, devido ao facto de todos os restantes lugares estarem ocupados.

Reconhecemos a preocupação da CP e da Refer na melhoria dos seus serviços e, constatando igualmente a necessidade de modernização e actualização da linha existente, acreditamos também que será possível encontrar forma de proceder a estas modificações, sem que para tal seja necessário recorrer à suspensão da linha. É sabido que noutras localizações do país, onde foi necessário fazer obras de requalificação, não se suprimiu a circulação dos comboios, tendo-se realizado as obras durante a noite ou em outros horários apropriados. Consideramo-nos merecedores da mesma consideração e tratamento.

Conscientes de que os nossos argumentos e preocupações são válidos, apelamos à intervenção das entidades competentes, no sentido de moverem os esforços necessários à salvaguarda dos interesses dos utentes.

Posto isto, serve esta petição para reivindicar o não encerramento da linha ferroviária, e, por conseguinte, a manutenção da circulação do comboio Intercidades que faz a ligação Évora-Lisboa-Évora.
 veja a petição


Nota: Nao posso deixar de ser signatario desta petiçao, porque conheço e viajo regularmente com estas pessoas e sei a importancia do serviço ferroviario para a vida delas, bem como a estima e dedicaçao que têm pelos comboios.


151 Anos de Comboios no Barreiro


Muito interessante! Nao deixe de ver a montagem disponivel neste link.


CP duplica oferta para Hendaya na segunda-feira

A CP vai aumentar segunda-feira, em mais 400 lugares, a oferta de Lisboa para Hendaya, mantendo esse reforço, nos dois sentidos, a partir de terça-feira.
O Sud Expresso, comboio que liga diariamente Lisboa à fronteira francesa de Hendaya (onde dá ligação ao TGV para Paris), está esgotado nos dois sentidos até terça-feira, tendo a empresa recusado inúmeros pedidos de passageiros que estavam dispostos a viajar de pé.

Mas a partir de segunda-feira a empresa vai reforçar a oferta, recuperando a velha composição que tinha sido desafectada há dois meses quando esta ligação passou a ser feita com o moderno material espanhol Talgo, passando a designar-se comboio-hotel. Mas bastou uma breve manutenção realizada de urgência durante o fim-de-semana para voltar a pôr as velhas carruagens operacionais para viajarem de novo para França.

Entre Lisboa e Madrid, e apesar de se realizarem voos, o comboio Lusitânia Hotel (que ligas duas capitais durante a noite) também se encontrava ontem esgotado durante o fim-de-semana.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Curiosidades de um dia de greve

Pois é caros amigos e leitores, durante um dia de greve como este que está a decorrer na CP, observamos que este pais em tudo o que nos rodeia está transformado num sitio muito mal frequentado.
Senao vejamos...
Verifico por mim proprio no local que a adesao á greve por parte dos Revisores associados do sindicato e nao só, é de 99,6% (só um agente veio trabalhar).
O porta voz da CP pelas 9 da manha, anunciou na tv que a greve apenas tinha uma adesao de 20%....
Meia hora depois o mesmo porta voz anunciou que afinal a mesma adesao já era de 65%...
Já sabemos que o dito porta voz nunca vai chegar a dizer a verdade, mas é caricato observar que vai "inventando" numeros conforme a disposiçao.
Observamos que a SIC e a TVI toda a manha foram fazendo o ponto da situaçao da greve até mesmo para informar o publico que necessita do comboio.
Em simultaneo na RTP é gritante que NADA é falado. Nem sequer é noticia que esteja a decorrer uma greve...
Parece que no "serviço publico" da RTP nao se enquadra avisar e relatar ás pessoas que vao trabalhar o que se passa com os transportes... ou será que é cada vez mais flagrante que na RTP só se pode noticiar o que o governo manda e quer.

Viva a democracia Socratiana

O PEC é o nosso lema, vamos todos apertar o cinto (no pescoço)  

Greve da CP: Sindicato fala em adesão de 100 por cento

Os Caminhos de Ferro garantem que estão a assegurar a maioria das ligações ferroviárias previstas para esta segunda-feira, apesar da greve iniciada esta manhã pelos revisores da empresa, cuja adesão, de acordo com o Sindicato Ferroviário de Revisão Comercial Itenarante a greve rondará os 100 por cento.

"A greve rondará os 100 por cento e em termos de comboios alguns foram suprimidos nomeadamente o Alfa e os internacionais mas de uma maneira geral há comboios afectados em todo o País", garante o Sindicato.
Por outro lado, a CP garante que "está a assegurar a maioria das ligações com excepção de alguns serviços regionais".
Esta paralisação vai durar até à meia-noite.

in
Correio da Manha

domingo, 11 de abril de 2010

CP pede indemnizações para adaptar telecomunicações

A CP pediu ao Ministério das Finanças e ao Ministério das Obras Públicas e Transportes para ser indemnizada pelos encargos de instalação de um novo sistema de telecomunicações nas suas locomotivas, uma necessidade provocada pelo facto de a Refer ter optado pela substituição em toda a rede ferroviária nacional do actual sistema "Rádio-Solo".
Em causa está um investimento de milhões de euros (cujo montante a transportadora não quis dizer ao PÚBLICO) que consiste em comprar e instalar em todas as locomotivas e automotoras equipamento com tecnologia GSM, idêntica à dos telemóveis, para que os maquinistas possam comunicar com as estações.

Actualmente esta comunicação é feita pelo Rádio-Solo, um sistema analógico que envia dados do comboio para balizas colocadas ao longo da via-férrea, seguindo por cabo para estações e centros de controlo. A Refer diz que esta tecnologia tem "sérias limitações na transmissão de dados" e no futuro poderá haver dificuldades em assegurar a sua manutenção.

Daí a opção para o GSM-R, mais fiável e mais rico em funcionalidades, sendo também uma tecnologia aberta e standard que pode ser utilizada por todos os operadores europeus. A principal razão, porém, é a sua obrigatoriedade pelas instâncias comunitárias, no âmbito da interoperabilidade entre as empresas de caminhos-de-ferro dos Estados- membros, tendo em conta a criação do mercado do transporte ferroviário europeu. A implementação deste projecto terá de cumprir normas técnicas válidas igualmente para as linhas convencionais e para as linhas de alta velocidade.

O seu custo em Portugal é também um segredo, segundo a Refer, que recusou igualmente prestar informações ao PÚBLICO. A implementação da nova tecnologia poderá ser faseada e podem também coexistir os dois sistemas (Rádio-Sol e GSM-R) durante algum tempo, mas a empresa terá de assegurar financiamento para tal num contexto de crise. A CP já assumiu dificuldades para suportar estes encargos.

Também o operador privado Takargo, cujas locomotivas, compradas há dois anos, têm instalado o Rádio-Solo, diz que a mudança terá de ser paga pela Refer, segundo disse ao PÚBLICO o seu administrador Pires da Fonseca.

Para a Fertagus, outra empresa privada que detém a concessão norte-sul, a questão não se coloca com tanta aquidade, uma vez que a sua frota pertence ao Estado, que deverá assegurar a mudança dos equipamentos, fazendo diluir os custos na renda que a empresa paga pela utilização dos comboios.



Carlos Cipriano in Publico



CP: Supressão da ligação Lisboa-Guarda antecipa efeitos da greve


A supressão do intercidades que deveria ligar hoje, domingo, Lisboa à Guarda antecipou os efeitos da greve de revisores da CP que se inicia às 00:00 de segunda feira.
Fonte do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), que convocou a paralisação de segunda feira, e da  CP admitiram à agência Lusa que até do fim do dia outros comboios de longo curso venham a ser suprimidos.
O presidente do SFRCI, Luís Bravo, referiu estarem em causa, nomeadamente, ligações entre Lisboa e Évora e Beja.
Ana Portela, da CP,  precisou que empresa optou por bloquear a venda de bilhetes para comboios que possam vir a ser suprimidos face à possibilidade de serem afectados pela paralisação, não especificando quais.
Segundo Luís Bravo a greve, que abrange também trabalhadores de vendas, tem por objectivo contestar o congelamento dos salários, recomendado pelo Governo e a intenção do Executivo de privatizar algumas das linhas da CP.
O sindicalista considerou que o congelamento dos salários é uma "medida extremamente injusta para os trabalhadores da CP", que, apesar de trabalharem numa empresa pública, "não têm qualquer vantagem em relação aos funcionários públicos".
O SFRCI contesta ainda a possível privatização de algumas linhas da CP, prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), alegando que se quer "privatizar a parte que dá lucro, deixando a CP numa situação insustentável".
Em comunicado, a transportadora referiu que a paralisação deverá afectar a circulação de comboios durante o dia de hoje, na segunda e na terça de manhã.
"Prevê-se a ocorrência de perturbações na circulação de todos os comboios, com possibilidade de supressões e atrasos um pouco por todo o país, com especial incidência nos serviços de Longo Curso (Alfa Pendular e Intercidades) e Regional", alertou a CP.
in
Jornal Noticias

Greve dos revisores da CP deverá começar a afectar circulação esta tarde


Os revisores da CP iniciam à meia noite uma greve contra o congelamento dos salários e a possível privatização de linhas da transportadora, mas as perturbações deverão começar a sentir-se esta tarde, principalmente nos comboios de longo curso.
"Espera-se uma grande adesão, na ordem dos 90 por cento", afirmou à Lusa o presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), que convocou a greve.
O presidente do SFRCI, Luís Bravo, disse que, apesar de a segunda feira "ser o principal dia de luta", os passageiros poderão contar com perturbações e atrasos já hoje à tarde e na terça feira de manhã, "principalmente nos comboios de longo curso" (Alfa Pendular e Intercidades).
A greve tem como objetivo contestar o congelamento dos salários, recomendado pelo Governo, e a intenção do Executivo de privatizar algumas das linhas da CP.
O sindicalista considera que o congelamento dos salários é uma "medida extremamente injusta para os trabalhadores da CP" que, apesar de trabalharem numa empresa pública, "não têm qualquer vantagem em relação aos funcionários públicos".
O SFRCI contesta ainda a possível privatização de algumas linhas da CP, prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC).
"Querem privatizar a parte que dá lucro, o que deixa a CP numa situação insustentável", afirmou o presidente do sindicato.
A CP já alertou para a possibilidade de supressões e atrasos em todo o país devido à greve.
A transportadora referiu, em comunicado, que a paralisação deverá afectar a circulação de comboios hoje ao final do dia, na segunda feira e na terça feira de manhã.
"Prevê-se, assim, a ocorrência de perturbações na circulação de todos os comboios, com possibilidade de supressões e atrasos um pouco por todo o país, com especial incidência nos serviços de Longo Curso (Alfa Pendular e Intercidades) e Regional", avisou a CP. 
O SFRCI representa 450 dos cerca de 1.000 trabalhadores da área comercial da CP, segundo o presidente do sindicato.
in
Jornal Noticias

Estação ferro-fluvial do Barreiro - Autarquia quer preservar antiga estação



A Câmara do Barreiro quer preservar a antiga estação ferro-fluvial do Barreiro, por considerar que é um património importante, apesar de ter sido desactivada quando foi construída outra a poucos metros de distância, electrificada.

Os carris foram retirados e os espaços onde durante muitos anos funcionaram alguns cafés e outros estabelecimentos comerciais estão agora encerrados.
Além dos comboios, a estação serviu também os barcos que faziam a ligação entre o Barreiro e Lisboa.
O presidente da Câmara do Barreiro, Carlos Humberto, explicou que a estação "é um elemento arquitectónico ligado a toda a história ferroviária" da cidade, e garantiu que a autarquia quer preservar o espaço. "É um elemento central e tem de se lhe dar vida. Devia-se encontrar uma solução de utilização para o espaço, que o permitisse aproveitar do ponto de vista lúdico, cultural e económico", disse.

Lusa

Acidente em Arévalo Espanha




Um comboio de mercadorias embateu noutro que estava parado e em consequencia o maquinista faleceu.